Uma das coisas mais bonitas que já vi na vida.

O que fazer em Foz do Iguaçu

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Hoje eu resolvi estrear um modelo diferente de postagens no blog. Vou fazer um apanhado das coisas que mais gostei em cada destino, e acho que vai ajudar um tantão de gente que, como eu, quer saber dos lugares, passeios e restaurantes mais legais de cada lugar antes de sair de casa. Como ainda não fiz nenhum post falando de Foz do Iguaçu, aqui vai! Dividi em dois tópicos: comidas e passeios. Então chega de enrolação e vamos pro melhor TOP 8 das galáxias:

Para comer:

La Mafia Trattoria

La Mafia Trattoria. Fiquei tão encantada que só tirei fotos de celular :(

La Mafia Trattoria. Fiquei tão encantada que só tirei fotos de celular :(

Como eu disse nesse post aqui, esse restaurante me conquistou desde o princípio. Primeiro, porque eles te buscam e levam do hotel ou hostel em que você estiver hospedado sem cobrar nada por isso. Segundo, porque o restaurante é lindo, e quem gosta de comida italiana, bom vinho e “O Poderoso Chefão” não pode perder. Terceiro porque a comida é boa e o preço é justo. Eu e minha irmã tomamos vinho e água, comemos massa e pedimos sobremesa, e a conta saiu por volta de R$150. Pra completar, ainda tem um mercado de vinhos super legal na frente.

Página do La Mafia Trattoria no Facebook
Telefone (exige reserva para quem deseja o transfer): (45) 3572-1015
Endereço: Rua Watslaf Nieradka , 195, Foz do Iguaçu – PR

Confeitaria Jauense

Nhami nhami nhami! Só tiro foto de comida com celular porque, né... A fome é maior que a vontade de pegar a câmera.

Nhami nhami nhami! Só tiro foto de comida com celular porque, né… A fome é maior que a vontade de pegar a câmera.

Pra quem é formigão vale a pena. Pra quem não é, também. Explico: eles têm coxinhas deliciosas, sucos naturais e bolos maravilhosos. Além de tudo, a comida é uma delícia e o café também. Fica no centro e é uma mão na roda pra quem está hospedado por ali, o acesso de ônibus também é super fácil. Para duas pessoas, um café generoso com bolo, coxinha, suco e café sai por aproximadamente R$50.

Endereço: Av. Juscelino Kubitschek, 117, Foz do Iguaçu – PR
Contato: Tel/Fax: (45) 3028-1621 ou sac@confeitariajauense.com.br

Doceria Almanara

Poderíamos ter economizado uma grana de passagem se soubéssemos que ia dar pra voltar rolando!

Poderíamos ter economizado uma grana de passagem se soubéssemos que ia dar pra voltar rolando!

Essa foi uma das melhores e piores experiências em Foz do Iguaçu. Quando chegamos na doceria, que fica bem em frente à Mesquita Muçulmana, fomos super bem atendidas por uma mocinha simpática. Além de tudo, os doces são, de longe, os melhores que já comi na vida! Porém, quando um rapaz apareceu para nos atender no lugar da moça, a coisa mudou de figura. Ela ficou super calada, não interagiu mais conosco, e o rapaz nos tratou na maior frieza o tempo todo. Acho que demos azar e chegamos em um momento ruim. Mas a comida é sensacional e com certeza vale a visita. Vários docinhos e uma água saíram por um pouco mais de R$20.

Endereço: Rua Meca, 642, Foz do Iguaçu – PR
Contato: (45) 3522-3043

Melhores passeios:

Parque das Aves

Apresentação de música indígena no Parque.

Apresentação de música indígena no Parque.

Foi uma surpresa! Não pensei que fosse gostar tanto desse lugar. Mas é um parque muito organizado, em que a maior parte dos animais vive em viveiros imensos, e a maioria deles foi resgatada em situação de maus tratos. A sensação é de que ali eles são muito bem cuidados e amados pelos funcionários do local. Fiquei até emocionada com a relação que o tratador das araras tem com as bichinhas. No dia em que fomos, teve apresentação de música indígena e pude tirar fotos com uma arara. Como se não fosse o suficiente, tem Wi-Fi free em todo o parque. Amamos o passeio!

Valor: R$30,00 em março de 2016. Estudantes com carteirinha e idosos pagam meia.
Website: http://www.parquedasaves.com.br
Endereço: Rodovia das Cataratas, Km 17,1 (em frente ao Parque Nacional do Iguaçu), Foz do Iguaçu – PR
Contato: (45) 3529-8282

Parque Nacional do Iguaçu

Uma das coisas mais bonitas que já vi na vida.

Uma das coisas mais bonitas que já vi na vida.

É óbvio que essa é a primeira parada do turista em Foz, né. Mas eu coloquei ele aqui só porque preciso elogiar a estrutura do parque. O atendimento é rápido, a oferta de comida é boa e os preços são justos. Além de tudo, o parque é limpo e muito bem organizado. Nem preciso falar da magnitude das Cataratas, mas falo assim mesmo: nunca vi nada igual e todo brasileiro deveria conhecer aquele lugar. O ponto negativo fica por conta da total ausência de sinal de telefone em alguns pontos. O parque tem Wi-Fi, mas é paga.

Valor: R$34,30 (para brasileiros) em março de 2016.
Website: http://www.cataratasdoiguacu.com.br/
Endereço: Br 469, KM 18, Foz do Iguaçu – PR
Contato: (45) 3521-4400 ou contato@catarataspni.com.br

Macuco Safari

O Macuco Safari funciona assim: você entra em um jipe e faz uma trilha na floresta, troca de jipe, faz outra trilha mais estreita na floresta (pode escolher em fazer uma trilha a pé, também), entra em um barco inflável gigante cheio de gringos e, quando menos percebe, está embaixo das quedas das Cataratas. Melhor passeio de Foz do Iguaçu de longe. Eu sei que se você for mão de vaca como eu você vai parar pra pensar. Vai se perguntar se vale todo aquele dinheiro. E eu te respondo essa dúvida agora: VAI! PARA DE PENSAR EM BOBAGEM E CLICA NO BOTÃO DE COMPRAR AGORA! E por mais impossível que isso pareça, no final do passeio você vai acreditar que cada centavo valeu a pena e ainda vai dizer que pagaria o mesmo valor outra vez pra ter essa experiência novamente. 

Uma dica: leve chinelos e leve uma troca de roupas, se estiver chovendo ou meio friozinho. Você vai molhar lugares do seu corpo que você nem sabia que existiam! (esse é o motivo pelo qual não tenho fotos do passeio – a câmera e o celular ficaram guardados no armário, que você pode alugar por R$10,00 no local).

Valor: R$198,00 (adulto) e R$99,00 (criança) em março de 2016.
Website: http://www.macucosafari.com.br/
Endereço: dentro do Parque Nacional do Iguaçu. Há uma parada de ônibus em frente.
Contato: (45) 3574-4244 / 3529-6262 ou comercial@macucosafari.com.br

Usina Hidrelétrica de Itaipu

Uma das maravilhas da engenharia moderna!

Uma das maravilhas da engenharia moderna!

Eu e minha irmã resolvemos ver a iluminação da barragem. Ela acontece à noite, apenas em alguns dias da semana, e você entra em um ônibus panorâmico que te leva até um mirante, acontece a iluminação daquela barragem gigantesca e depois vocês fazem um passeio pela parte externa da Usina. Vale a pena, é um passeio barato e bem divertido. O único problema é que eles deveriam ser mais rigorosos com câmeras com flashes durante a iluminação, porque acabam atrapalhando a “magia” do momento.

Valor: R$17,00 por pessoa em março de 2016 (iluminação da barragem).
Website: https://www.turismoitaipu.com.br
Endereço: Av. Tancredo Neves, 6702, Foz do Iguaçu – PR
Telefone: 0800 645 4645

Templo Budista

Um lugar lindo, cheio de paz!

Um lugar lindo, cheio de paz!

Acho que foi o passeio que mais gostei, junto com o Macuco Safari. Um lugar maravilhoso, de uma paz inacreditável. Um ônibus te deixa bem pertinho do templo e, pra completar, o passeio é gratuito. Eu nunca tinha ido a um Templo Budista, mas é incrível como a energia no lugar é positiva. Saí de lá cheia de bons pensamentos e agradecida por ter conhecido tantos lugares Incríveis.

Valor: gratuito.
Endereço: R. Dr. Josivalter Vila Nova, 99, Foz do Iguaçu – PR

E é isso! E me contem se as dicas ajudaram no seu planejamento, hein?

Um beijo e bom final de semana!

picjumbo.com_IMG_6648

Sobre as coisas que tenho aprendido na estrada

A internet está cheia de artigos e posts em blogs com frases motivacionais pra fazer com que você viaje. A rede está cheia de gente querendo vender passagens, pacotes, hotéis, passeios, todo mundo tentando te convencer de que aquele lugar maravilhoso tem que ser o seu próximo destino.  E quanto mais você gastar, melhor.

Foto tirada pelo Marcus em Phoenix, Arizona, nos EUA

Foto tirada pelo Marcus em Phoenix, Arizona, no caminho para o Grand Canyon.

Vê bem: eu não quero que você pense que eu acho que gastar muita grana numa viagem é ruim. Não é. É seu dinheiro e você faz com ele o que você bem entender. Você trabalhou muito, provavelmente bem mais do que gostaria, e agora tem todo o direito de realizar o seu sonho do jeito que você idealizou.

É mostrar pra você que viajar talvez seja um pouco mais do que conhecer monumentos e riscar destinos da sua check list. E eu sei que você também já leu por aí que isso é ruim, e que é melhor a qualidade do que a quantidade de destinos em uma viagem. Eu concordo com isso, mas esse ainda não é o ponto. A minha intenção é falar pra você que viajar pode ser uma experiência mais interior que exterior, e que tudo isso é muito mais do que uma atividade econômica super lucrativa.

Desde que eu viajei a primeira vez pra satisfazer essa minha “wanderlust”, eu senti que alguma coisa dentro de mim tinha mudado. Eu nunca me esqueço da experiência de estar na Plaza San Martín, com aquela paisagem urbana sensacional, pensando no quanto eu sou privilegiada, no quão grande o mundo é e no quão longe eu estava de casa. Essa foi uma experiência bem transformadora, pra ser sincera. Naquele momento eu pensei nas inúmeras vezes que reclamei sem motivo nenhum pra reclamar.  Esse acontecimento na também me fez pensar em todas as pessoas que não têm a mesma oportunidade. E me fez desejar profundamente que todo mundo, sem exceção, possa sentir a mesma coisa pelo menos uma vez na vida.

Foto tirada por mim na estrada para o Volcán San Jose, na Cordilheira dos Andes

Foto tirada por mim na estrada para o Volcán San Jose, na Cordilheira dos Andes

No dia em que estive no Cajón del Maipo, no Chile, a 2500 metros acima do nível do mar, pisando no alto da Cordilheira dos Andes, foi a primeira vez que eu senti que a natureza era muito maior que eu – no aspecto filosófico da coisa mesmo. Em Foz do Iguaçu essa sensação foi maior ainda. Eu tive um contato muito forte com aquela água toda, e compreendi duas coisas que fizeram uma baita diferença no meu modo de ver as coisas:

  1. Não existe nada construído por mãos humanas que se compare à magnitude e à onipresença da natureza. Ela é soberana sobre tudo e sobre todos;
  2. As Cataratas já estavam ali muito antes de nós. E nós vamos embora… E elas vão continuar ali. Por muitos e muitos e muitos anos. Nós somos parte de tudo isso, mas não somos nem o começo e nem o fim. Na verdade, não chegamos nem perto disso.

Na Argentina também aconteceu uma coisa bem curiosa. Muita gente me disse que o povo argentino era grosseiro, que não tratava bem os brasileiros, e eu fui pra lá com esse receio. E aí aconteceu justamente o inverso: nunca fui tão bem tratada em toda a minha vida. Nessa viagem descobri que não tem nada mais bonito de se ver do que o sorriso de um estrangeiro quando você diz “eu sou brasileira(o)”. E a mesma coisa aconteceu com um casal vietnamita que conhecemos no Chile. E um senhorzinho chileno que nos parou na rua porque viu que éramos brasileiros. Basta você dizer “sou brasileira(o)” e pronto: lá vem um sorriso de orelha a orelha, geralmente acompanhado de um “Oh, I love Brazil so much!“.

Isso me fez reparar que quando você abre seu coração e sorri para as pessoas, em 99% das vezes elas vão retribuir. Fica aqui uma dica que faz toda a diferença quando colocamos o pé na estrada: não existe mau humor que resista a um sorriso sincero e um largo “bom dia” (de preferência na língua local).

E aí eu aprendi uma lição que passei a aplicar no meu dia-a-dia. Eu não posso levar todo mundo pra viajar comigo, mas posso doar gentileza a quem não espera recebê-la. Quando entro no ônibus, sorrio e desejo bom dia ao motorista, que fiz questão de aprender o nome. Quando chego no trabalho, sorrio e desejo bom dia às pessoas. Pergunto pra mocinha que me vende os bilhetes do ônibus se ela vai bem. Tento fazer com que o dia das pessoas seja um pouco melhor, pra que o meu seja melhor. Acredite: essa foi uma baita mudança na minha vida. Acho que foi a maior de todas. E as pessoas ficam até sem jeito: quando fui renovar meu passaporte no mês passado, o pessoal da Polícia Federal nem sabia como agir comigo (e eu sei que é porque nós, funcionários públicos, estamos tão habituados à grosseria que quando alguém nos trata de uma forma gentil ficamos sem saber o que fazer).

Meu tipo favorito de estrada.

E, finalmente, meu tipo favorito de estrada.

Viajar é uma coisa maravilhosa. Mas mais do que uma coisa maravilhosa é uma forma de mudar o jeito que vemos o mundo. É sair por aí e ver cara a cara que todos nós temos, lá no fundo, os mesmos anseios e as mesmas vontades, e que isso não depende do nosso país de origem. É ver que as pessoas são essencialmente boas, e que se você der a elas amor, elas vão te devolver o mesmo. É, também, compreender que o mundo é grande demais e que muitas coisas acontecem a parte da nossa frágil existência. É aprender a respeitar a natureza, seu fluxo, seu tempo, e perceber que é nossa obrigação deixá-la em paz.

Portanto, na próxima vez em que você viajar, dá um pouco mais de atenção pro que você está sentindo. Tenta reparar na diversidade, na natureza e nas pessoas que te cercam. Reconheça o tamanho desse privilégio. Eu sei que é fácil se deixar levar pelo turbilhão de museus, restaurantes e lojinhas, mas eu garanto que vai valer a pena.

Um beijo e até a próxima!

PS: você já curte a nossa página no Facebook? Não? Então clica aqui!

Cataratas

Harry Potter, Foz do Iguaçu e o melhor restaurante da vida

Olá, gente! Tudo bem com vocês? Por aqui está tudo bem!

Março foi um mês super-ultra-extraordinário, por isso eu achei que merecia um post só pra ele. Na verdade, eu sei que eu me empolgo com quase tudo que acontece nessa vida, mas março realmente foi uma coisa especialmente linda desse ano, e eu tenho a sensação de que foi porque a primeira viagem de 2016 finalmente aconteceu, hahaha!

Eu e a minha irmã viajamos pra Foz do Iguaçu e foi bem legal. Ela se formou na faculdade esse ano e eu resolvi levá-la pra viajar comigo pra comemorar esse acontecimento maravilhoso. Fiquei impressionada com a estrutura de Foz pra receber o turista. Também achei o Parque Nacional das Cataratas impressionante, tanto pela beleza natural daquele lugar, quanto pela organização. Com o tempo vou contando mais sobre Foz pra vocês nos diários de viagem!

Cataratas

Cataratas

Além disso, Foz me deu um presente sensacional: o La Mafia Trattoria. Sério, esse é um dos melhores restaurantes que já fui em toda a minha vida. A decoração é toda baseada no filme O Poderoso Chefão, e você se sente na casa de uma família tradicional italiana. As massas são uma delícia, o vinho é barato, a vida é linda nesse restaurante! E  como se tudo isso não fosse o suficiente, eles ainda te buscam e depois te levam pro hotel <3. Tenho certeza absoluta de que vou voltar pra Foz um dia, porque eu preciso levar o Marcus pra conhecer essa preciosidade.

Outra coisa que eu resolvi fazer nesse mês, inspirada pelo blog Nuvem Literária, foi ler Harry Potter novamente. Eu comecei a ler a série pela primeira vez quando tinha uns 11 anos, lá em 1999/2000. Depois, comecei a acompanhar o lançamento dos novos livros, com meus irmãos e minha mãe, que também amam a história. Ou seja, Harry Potter fez parte da minha vida por pelo menos sete anos, que foi quando o último livro foi lançado, e desde então eu nunca tinha relido nenhum dos livros da série.

Tenho que dizer que estou amando ler essa série com a minha visão atual, comparando com minha visão de criança / adolescente. Eu lembro que costumava sonhar que estava jogando quadribol, e agora entendo o motivo! A J. K. Rowling com certeza fez da minha infância uma época mais mágica. Bom, já estou terminando O Cálice de Fogo e não vejo a hora de chegar em A Ordem da Fênix, que costumava ser o meu favorito.

Ainda tô esperando a minha carta :/

Ainda tô esperando a minha carta :/

Isso me tirou totalmente da meta de leitura de 2016. As únicas coisas que tenho lido ultimamente são Harry Potter e o Lonely Planet de Amsterdã. Aliás, falta pouco mais de um mês pra viagem e já está tudo pronto – passaporte, passagens, hotel, dinheiro, seguro – e ter tudo resolvido me faz ter bastante tempo pra me sentir apavorada durante as semanas. Isso porque essa vai ser a minha primeira solo trip e a ansiedade já está me devorando de dentro pra fora, hahaha.

E foi assim que março aconteceu… E abril já vem lindo com mais um feriado prolongado! Dessa vez não vou viajar e nem tenho grandes planos por motivos de que QUERO DORMIR QUATRO DIAS CONSECUTIVOS e estou muito empolgada pra esses raros momentos de intimidade entre mim e meu travesseiro <3.

Um beijo e bom final de semana, gente!